segunda-feira, 8 de agosto de 2011

Aracy Balabanian

Aracy Balabanian, atriz, nasceu em Campo Grande, MS, em 22/02/1940 e seus pais vieram para o Brasil da Armênia, fugindo do genocídio promovido naquele país pelos turcos otomanos. Eles fixaram residência na capital do atual estado de Mato Grosso do Sul onde Aracy e os irmãos nasceram. Seu pai se chamava Rafael Balabanian e era comerciante e sua mãe era chamada Estér Balabanian, uma dona-de-casa.

Foi registrada como se tivesse nascido em 25 de abril de 1940, pois na época era comum, por ter nascido em casa, as pessoas serem registradas errado, devido a distância de cartórios e hospitais, pois Campo Grande na época era interior e não capital. Seu nome era para se escrito Araccy, que é o verdadeiro nome armênio, mas o cartório pediu ao pai dela para que se graface um nome a estilo brasileiro e assim ficou Aracy.

Aos quinze anos mudou-se para São Paulo com os sete irmãos e ajudava os pais na criação dos irmãos menores. Fez e passou no vestibular para Ciências Sociais e para a Escola de Arte Dramática, vindo a abandonar os estudos de Sociologia, de outro vestibular que ela fez e tinha passado, para se dedicar ao teatro, sua verdadeira paixão. Diz que viveu numa época que era considerado feio uma mulher fazer teatro, já que antigamente a mulher era educada para ser dona-de-casa e obedecer ao marido.


A sua estréia em televisão foi na peça Antígona, de Sófocles, montada pela TV Tupi. Contrário à carreira da atriz, o pai de Aracy só aceitou a opção profissional da filha em 1968, quando ela contracenou com Sérgio Cardoso na novela Antônio Maria.

Tornou-se uma das maiores intérpretes do meio e criou personagens inesquecíveis como a idealista Violeta de O Casarão (1976), de Lauro César Muniz, a sofrida Maria Faz-Favor de Coração Alado (1980/81), de Janete Clair, a ardilosa Marta de Ti Ti Ti (1985/86) e a misteriosa Maria Fromet de Que Rei Sou Eu? (1989), ambas de Cassiano Gabus Mendes, a excêntrica Dona Armênia das novelas Rainha da Sucata (1990) e Deus nos Acuda (1992/93), ambas de Sílvio de Abreu e aquela que talvez seja a sua mais marcante, a fria e autoritária matriarca Filomena Ferreto de A Próxima Vítima (1995), também de Sílvio de Abreu.

Outro papel marcante é a Gemma Matoli, na novela Passione, exibida recentemente pela Rede Globo e escrita por Silvio de Abreu. Gemma é a grande protetora da família dos Matoli, principalmente de seu irmão de criação Totó (Tony Ramos). Gemma luta com unhas e dentes por sua família, por isso é um dos personagens centrais da trama.

Curiosamente atuou pouquíssimo no cinema nacional.

No teatro, pode-se ressaltar seus desempenhos em peças dirigidas por Ademar Guerra, como Hair, de 1968 e interpretando Clarice Lispector em Clarice Coração Selvagem, encenada em 1998. Sua personagem mais conhecida pelo grande público no teatro foi a socialite decadente Cassandra, no humorístico Sai de Baixo, gravado ao vivo do Teatro Procópio Ferreira de 1996 a 2002 para a Rede Globo de Televisão.

Por sempre ter se dedicado a carreira artística, Aracy nunca se casou e também não teve filhos. Também nunca apareceu com nenhum namorado na mídia.

Carreira

Televisão

1964 Marcados pelo Amor
1966 O Amor Tem Cara de Mulher
1966 Um Rosto Perdido
1967 Angústia de Amar
1967 Meu Filho, Minha Vida
1967 Sublime Amor
1968 Antônio Maria
1968 O Coração Não Envelhece
1969 Nino, o Italianinho
1971 A Fábrica
1972 O Primeiro Amor
1972 Vila Sésamo
1974 Corrida do Ouro
1975 Bravo!
1976 O Casarão
1977 Locomotivas
1978 Pecado Rasgado
1980 Coração Alado
1981 Brilhante
1982 Elas por Elas
1983 Guerra dos Sexos
1984 Transas e Caretas
1985 Ti Ti Ti
1986 Mania de Querer
1987 Helena
1989 Que Rei Sou Eu?
1990 Rainha da Sucata
1991 Felicidade
1992 Deus Nos Acuda
1994 Pátria Minha
1994 A Desinibida do Grajaú
1995 A Próxima Vítima
1995 Engraçadinha... Seus Amores e Seus Pecados
1996-2002 Sai de Baixo
2001 Brava Gente
2002 Sabor da Paixão
2003 Linha Direta
2004 Da Cor do Pecado
2005 A Lua Me Disse
2007 Eterna Magia
2008 Casos e Acasos
2008 Queridos Amigos
2008 Toma Lá, Dá Cá
2008 O Natal do Menino Imperador
2010 Passione

Cinema

1998 - Policarpo Quaresma, Herói do Brasil
1998 - Caramujo-flor
1975 - A Primeira Viagem

Teatro

1963 - Os Ossos do Barão
1966 - Oh, que delícia de guerra
1969 - Hair
1977 - Brechet, segundo Brechet
1980 - A Direita do Presidente
1985 - Boa noite Mãe
1985 - O Tempo e os Conways
1988 - Folias no Box
1991 - Fulaninha e Dona Coisa
1995 - Dias Felizes
1998 - Clarice Coração Selvagem
2006 - Comendo entre as refeições

Prêmios

1996 -  APCA - Melhor Atriz de Televisão -  A Próxima Vítima
1995  - Melhores do Ano (Domingão do Faustão) -  Melhor Atriz -  A Próxima Vítima
1996  - Troféu Imprensa - Melhor atriz -  A Próxima Vítima
2002 - Prêmio Contigo -  Melhor Atriz Cômica - Sabor da Paixão


Fonte: Wikipédia.