segunda-feira, 8 de agosto de 2011

Arlete Montenegro

Arlete Montenegro, atriz e dubladora, nasceu em São Paulo, SP, em 15/10/1938. Sua mãe, Luiza, era empregada doméstica. E Arlete diz que sempre só tiveram uma à outra, já que não conheceu o pai. Sua infância foi difícil, porém, acarinhada por sua avó preta e sua tia preta, que a criaram.

Estudou apenas o primário e depois disso, fez cursos diversos. Era sempre a primeira da classe e gostava muito de ler, por isso fazia a leitura das poesias em classe e os discursos de fim de ano. Começou a trabalhar aos doze anos numa fábrica e todo o seu dinheirinho era entregue à mãe. Gostava de ouvir rádio e foi assim que aos 19 anos tomou conhecimento de um concurso da Rádio São Paulo, que se chamava: “Procura-se uma estrela”.

Apresentou-se. Sua voz, com dicção perfeita, foi logo notada. Tirou primeiro lugar e foi contratada pela rádio, onde passou a trabalhar o dia inteiro. A seguir, começou a partir de novelas na emissora que era líder de audiência na época. Logo, ganhou o prêmio "Tupiniquim", como melhor rádio-atriz. Ficou depois com o título de "Heroína do Quarto Centenário", pois era o ano de 1954.

Logo foi convidada para a TV Record. E já começou fazendo a Esmeralda do “Corcunda de Notre Dame”, uma cigana que dançava e era linda. Arlete também o era. E nunca mais parou de fazer televisão. E não ficou só aí. Entrou também para a dublagem, sempre aproveitando o maior dom que Deus lhe deu: sua voz. E também foi para o teatro, atuando em, dentre outras peças, "Noites Brancas", "Ilha dos Cabras" e "Dois na Gangorra".

Nos anos sessenta e setenta atuou na TV Excelsior onde interpretou Belinha em "Ambição" (1964) e Cristina de Godói na primeira versão de "A Muralha" (1968/1969), minissérie baseada na obra de Dinah Silveira de Queiroz. A seguir atuou em novelas da TV Tupi como "O Preço de Um Homem" (1971/1972) na pele de Rosa e a seguir integrou o elenco de "Meu Rico Português" (1975) onde viveu Dora e depois trabalhou na primeira versão de "A Viagem" (1975/1976) interpretando Mariana.

Depois disso passou um longo período afastada do meio televisivo até interpretar Leda na novela "Cara e Coroa" exibida pela Rede Globo entre 1995 e 1996. A seguir tabalhou na Rede Record interpretando Sara em "Olho da Terra" (1997) e no SBT interpretando Débora em "Marisol" (2002). De volta à Globo fez participações especiais em "Páginas da Vida" interpretando Yolanda e em "O Profeta" como Tia Filomena, estas últimas no ano de 2006. 

Dublagem

Embora tenha dublado atrizes como Jane Fonda, Lana Turner e Shirley MacLaine, foi como intérprete de Bette Midler que atuou com maior frequência, vide os filmes "Amigas Para Sempre", "Cuidado Com As Gêmeas" e a primeira dublagem do filme "Abracadabra". Em "Mulher Nota Mil" dublou a personagem-título e nos desenhos animados deu vida à Senhora Puff em "Bob Esponja" e a Lyly Monstro em "Os Monstros". Dublou também alguns personagens em animes, como Sailor Galáxia em "Sailor Moon", Madame Durwin em "Cybercops", Urânia em "Jem e as Hologramas" e Vovó Ursa em" Ursinhos Carinhosos". 

Fontes: Wikipédia; Netsaber;